Já que no Pego tivemos que nascer...Somos pegachos até morrer.

História das Danças

Mais de vinte números, alguns conhecidos no pego desde sempre, outros trazidos pelos pegachos emigrantes das zonas onde trabalhavam, passando a dança-las na sua terra, de acordo com o seu modo de sentir.

De movimento viril, como todo o folclore ribatejano, podem destacar-se:

Saias do Pego

Antigamente aos domingos e dias de festa era habitual os jovens do Pego juntarem-se no adro da Igreja Paroquial e ensaiarem algumas danças. O despique mais acentuado acontecia quando das "SAIAS" se tratava.

Dançar no adro da igreja paroquial foi hábito que se perdeu, mas o despique das saias continua, sempre que é motivo de festa e se juntam os pegachos.

Dois Passos

O casamento no Pego, constitui - sempre constituiu - motivo de festa e convívio e a dança não podia nem pode faltar.

Uma das danças que no Pego mais constituia motivo de despique no "saber dançar", nomeadamente pela dança a prémio, era a moda dos "DOIS PASSOS".Outrora dança de muitas festas e bailes, hoje só para demonstração alguns a vão continuando.

Fandango

Umas das danças mais características do Ribatejo é, sem dúvida, o Fandango.

É uma curioso despique entre dois dançarinos que, no Pego, muitas vezes também entre o rapaz e a rapariga.

(Cont.)

 
  • Como ir - de carro a melhor maneira de chegar ao Pego é ir na direcção de Abrantes através da A23, a que se tem fácil acesso pela A1 no nó de Torres Novas. O Transporte público está assegurado pelo comboio (CP) ou de autocarro.
  • O que visitar - Igreja Paroquial de Santa Luzia, Capela do Senhor dos Aflitos e as casas tipicas.
  • Onde Comer (pratos tipicos)
  • - Ti Pedro
  • - Claudino
  • - Pechalha
  • - O Bento
  • Especialidades - Enchidos, bucho e tripa, orelha, febras, entrecosto, coração, lingua e entremeada.
  • Outra Gastronomia Pegacha - Migas Carvoeiras, Migas de Couve, Couves com Feijão, Bolo Amassado, Coscorões, Arroz Doce, etc.